Avançar para o conteúdo principal

PARÓDIAS : PAULA REGO e RAFAEL BORDALO PINHEIRO

Despertou-me a curiosidade esta exposição dedicada à obra de dois artistas distanciados por mais de um século. Qual o sentido de uma exposição coletiva?

A resposta veio ao visitar a exposição Paródias que inaugurou ontem, na casa das Histórias Paula Rego, em Cascais. Ambos os artistas usam a produção artística, sobretudo a gráfica, como meio privilegiado de crítica sócio-política. Ao observar as obras expostas é evidente a existência de um diálogo entre as obras de Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905) e Paula Rego (1935) que transmitem, a partir de uma observação atenta do quotidiano, uma visão crítica da vida e dos costumes portugueses na época em que se inserem, apesar da distância cronológica que os separa. Tanto em Bordalo Pinheiro, como em Paula Rego, a ópera e o teatro são dimensões artísticas frequentemente convocadas por ambos, sendo a vida e o palco objeto de dinâmicas trágico-cómicas entre personagens humanas animalizadas e animais humanizados. 

Os animais servem os dois artistas porque as emoções humanas são neles facilmente identificáveis por associações que vêm da cultura popular e que se estabelecem de imediato. Talvez essa seja a razão porque ambos de auto-retrataram em figuras de gatos. 

"Mas aquilo que imediatamente une os dois artista, separados por mais de um século e pelas características únicas da sua expressão individual, não são as temáticas que abordaram nem o modo como tecnicamente as desenvolveram.  O que as une é o inequívoco facto, de tanto Rafael Bordalo Pinheiro como Paula Rego, terem feito da sua produção artística um elemento diluidor das hierarquias e de diferenciação entre a arte erudita e a popular, sempre comunicante com o tempo presente através das sua vozes críticas, por vezes mordazes e socialmente interventivas." Curadora Catarina Alfaro

     Rafael Bordalo Pinheiro                                                          Paula Rego
     Depois das Eleições/After the Elections                                              O Fim da História/ The End of the Story/2007
     Litografia                                                                                                 Série o Vinho
                                                                                                                      Litografia
    
     Paula Rego
     Entre as Mulheres /Amongst 1997
     Série O Crime do Padre Amaro/ The Crime of Father Amaro series
    Pastel sobre papel montado em alumínio

No percurso inicial de Paula Rego é marcante a denúncia sócio-política. As obras concebidas, a partir dos anos 60, remetem para a situação política do país, comentando-a de forma sarcástica e crua. As inquietações políticas atravessam a obra da pintora neste período em particular, marcado pela ditadura, mas em todas as fases posteriores do seu trabalho essas reflexões estão presentes.

O olhar de Rafael Bordalo Pinheiro dirige-se quase sempre para a descrição visual, do traço homorístico, das peripécias políticas do seu tempo que, durante o constitucionalismo liberal dos anos 70 de 1800 e até aos primeiros anos de 1900, foram variadas e constantes e se publicaram os comentários políticos do artista noa vários jornais e álbuns de caricaturas que fundou e participou.

     Rafael Bordalo Pinhero
     Sem Máscaras/ No Masks
     Litografia 

A exposição fica patente até dia 12 de abril de 2015. 
Casa das Histórias Paula Rego
Av. da República, 300
2750-475 Cascais
+ 351 214 826 970
Horário
3ª feira a domingo, das 10h às 18h
Público Geral: 3€
Residentes 1.5€

Comentários

Mensagens populares deste blogue

MESSIAS

Já tenho bilhete!!! Ah , pois é , o meu lugar já está assegurado para uma Blues Special Night. Amanhã vou ter o privilégio de ver e ouvir "Messias & The Hot Tones".    Estou com imensa curiosidade. Na verdade, uma noite de blues remete-me para os longínquos anos 90... um clube noturno no centro de Londres onde, creio, pela primeira vez ouvi este género musical. Havia magia no ambiente ...  que na época eu não entendia mas que a sentia ... senti! Algo me escapava! Não me lembro o que ouvi, mas ainda está vivo em mim o mistério e silêncio que me tocaram as fibras da alma para guardar na memória aquela atmosfera especial. Pausa: Vou ali , já venho! Durante anos guardei uma espécie de jornal do clube. Lembrei-me agora. Vou procurá-lo para saber o nome do grupo e do clube. Dou-me conta que já não  o tenho. A memória lembra-me ... que este ano, nas minhas arrumações ... olhei para ele e pensei: o que está isto aqui a fazer? lixo! Já voltei! Curiosa

NEW LOOK

Contrapor com o que já temos: foram estas as palavras que a Cátia proferiu quando a tesoura agil deslizou pelo meu cabelo e artisticamente modelou e deu forma, qual cutelo de escultor.Um corte não convencional. Assimétrico , dizera-lhe eu! E foi ver os caracois ganharem vida própria . Nada de brushing! Apenas uma rabanada de vento e tenho new look que me permite entrar com leveza na nova década e na próxima primavera! I'm ready to go. Pulseiras made Criatividadeah solta

BOM DIA SEGUNDA FEIRA

E um bom inicio de semana. Esta é uma semana especial. A semana do meu dia! Pois é já estou em contagem decrescente.... por isso aqui deixo uma mão cheia de desejos , sonhos e coisas boas para abrir o apetite ... viver e made it happen! Reprodução